Empreender no exterior: como ter um negócio de sucesso

Empreender no exterior: como ter um negócio de sucesso

Ter um negócio próprio é o desejo da grande maioria dos brasileiros, e uma parcela deles não pensa fazer isso no seu país de origem, mas sim empreender no exterior. Seja de forma planejada ou pelo acaso de já estar residindo em outro país, conquistar a sua independência financeira com um negócio próprio no exterior é possível, e muitos brasileiros estão obtendo sucesso nessa jornada.

Prova disso é que, segundo dados do Ministério das Relações Exteriores, há mais de 20 mil pequenos e microempreendedores brasileiros fazendo investimentos no exterior. A maior parte deles, cerca de 9 mil, está nos Estados Unidos; outros 1,5 mil empreendem no Japão; e a França aparece em terceiro lugar, com mais de 1,3 mil empreendedores brasileiros.

“Nasci no berço de uma família humilde no interior de Minas Gerais, desde dos meus 16 anos já trabalhava em busca de um futuro promissor. Com muita perseverança, me mudei para São Paulo onde terminei os estudos e segui em busca de oportunidades de trabalho. Com o intuito de buscar um tratamento médico para o meu filho mais novo, fiz da dificuldade a minha superação. Larguei tudo no país e cruzei o continente com destino aos Estados Unidos em 2017, onde meu filho poderia usufruir de um tratamento qualificado para o autismo. ” – Comenta a CEO da Eagle Intercâmbio, Arleth Bandera. 

Com o conhecimento no segmento de turismo, intercâmbio e ensino do idioma inglês, a empresária criou do zero em 2018 a Eagle Intercâmbio, startup focada em atender de maneira personalizada e com preço abaixo do que as agências do Brasil. E, só no ano passado, apesar do mercado de turismo ter sido um dos grandes afetados pela pandemia, a empresa conseguiu faturar mais de 2 milhões de reais e segue caminhando para sua expansão e abertura de novas filiais. 

Arleth explica que para ter um negócio do sucesso no exterior é preciso ficar atento a pontos muito importantes, abaixo ela comenta alguns deles: 

– Escolha o negócio certo para o país certo: “Muitos brasileiros emigram sem saber o que vão empreender em seu novo destino. A maioria acaba não conseguindo uma oferta de trabalho na área em que já atuava no país ou começa informalmente. Isso pode dar muito certo, mas o ideal é já sair do Brasil com um bom plano de negócios. E para fazer um bom investimento no exterior é só escolher um tipo de negócio que tenha demanda no país e que você possa atender.” – Explica Arleth Bandera. 

 

– Faça um bom planejamento financeiro: “Empreender no exterior tem alguns desafios, e um dos principais é ter um bom capital de giro para manter o negócio funcionando até que ele atinja o ponto de equilíbrio e comece a dar lucro. Em um país diferente, muitos brasileiros têm um valor restrito para viver os primeiros meses e esse montante pode diminuir, consideravelmente, dependendo do custo de vida do local e da relação cambial na conversão de valores. ” – Alerta a CEO. 

– Tenha um plano B: “Nenhum empreendedor quer pensar que seu negócio pode não dar certo, mas é fundamental cogitar essa possibilidade e se preparar para ela, principalmente se você vai empreender no exterior. Estar preparado para sua empresa demorar mais a lucrar do que o previsto, ou se necessário mudar a trajetória no meio do caminho vai aumentar as chances de que o negócio dê certo a longo prazo. Porém, se não der, é muito importante ter um plano B para bancar suas despesas e, eventualmente, retornar ao Brasil. ” – Explica Bandera. 

 

“Minha jornada já começava diferente e, em vez de montar uma agência de intercâmbio no Brasil com foco nos Estados Unidos, abri a primeira unidade no Vale Silício, com uma equipe 100% brasileira atendendo a comunidade latina. Com clientes oriundos de diferentes localidades, a presença física da equipe da Eagle nos Estados Unidos, único destino atendido pela agência no início, permitiu com que tudo fosse pensado para os nossos alunos, desde as opções de moradia, escola, cursos, passeios. Nós moramos aqui e desfrutamos do que há de melhor nos EUA e, por isso, quase nada passa despercebido pela nossa equipe. Fazemos parte dessa comunidade e assim conseguimos acompanhar, receber e ter total controle das ações, pacotes e produtos que oferecemos. ” – conclui Arleth Bandera, CEO da Eagle Intercâmbio. 

Para saber mais sobre dicas, intercâmbio, alteração de visto, Green Card, entre outras coisas, acesse:  www.eagleintercambio.com