Por que não leiloar as joias que Jair e Michelle tentaram embolsar e converter a renda em comida para carentes?

Por que não leiloar as joias que Jair e Michelle tentaram embolsar e converter a renda em comida para carentes?

Artigo do jornalista Roberto Maciel:

Não há nada a impedir uma proposta legislativa que ofereça ao Governo Brasileiro a possibilidade de leiloar joias e outros objetos de valor pecuniário, sem expressão histórica, portanto, que estejam na acervo da Presidência da República.

Lembram-se de Dom Pedro II, aquele que disse que venderia até a última joia da coroa para que nenhum cearense morresse de fome? Pois é: poderiam, sim, ser vendidos por Lula badulaques como as joias que Jair Bolsonaro teria mandado contrabandear para o Brasil. O caso é assaz conhecido: o governo da Arábia Saudita presentou a então primeira-dama com joias no valor de R$ 16,5 milhões, mas os bens não poderiam ser dela, conforme a legislação determina, e precisariam ser incorporados ao acervo da Presidência.

Sem ter nada de boba, a família mandou um estafeta enfiar o pacote na mochila, bem escondido, e trazê-lo “na maciota” para o Brasil. Um atento e responsável servidor da Receita Federal flagrou a arrumação na alfândega do aeroporto de Guarulhos (SP) e apreendeu o pacote. Daí para adiante foi uma sequência de tentativas frustradas de Jair Bolsonaro para tentar se apoderar das joias.

Joias como essas são comuns no vai-vem diplomático. O Brasil já mimou com gemas do patrimônio mineral local primeiras-damas e dirigentes de outras nações. Há registros vários disso. O que não tem registro é de um esforço tão grande, tão bizarro, tão deletério, em busca de empalmar o que é alheio.

Faria bem o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se, considerando que aneis, pulseiras, canetas e gargantilhas de ouro sem nenhuma representatividade histórica estão ocupando espaços em prédio público, tratasse de promover um leilão em favor de brasileiros que hoje estão submetidos à fome que o governo de Jair Bolsonaro impôs. São, segundo dados admitidos por autoridades públicas, mais de 33 milhóes de homens, mulheres e crianças sem ter o que comer.

Já imaginou o quanto de feijão, arroz, macarrão, peixe, frango e carne se poderia comprar com os R$ 16,5 milhões das joias que o Jair e a Michelle cobiçaram?