Secretária de Igualdade Racial apresenta estratégias do Ceará no setor em evento sobre gestão pública

Secretária de Igualdade Racial apresenta estratégias do Ceará no setor em evento sobre gestão pública

A secretária de Igualdade Racial do Ceará, Maria Zelma de Araújo Madeira, participou sexta-feira (24.3) do Congresso de Governos por uma Gestão Estratégica de Lideranças, organizado pelo articulação Vetor Brasil.

Na aula magna do evento, Maria Zelma elencou uma série de dados que demonstram a desigualdade no serviço público do país. Segundo dados do Ipea, até 2020, 65% das funções de nível superior eram ocupadas por brancos no Brasil. Em relação a cargos de liderança nas pastas de Educação, Saúde e Economia, os negros representavam apenas de 15% a 25%.

“Um dos problemas do Brasil é que essa ausência de negros em cargos de liderança não incomoda nem provoca estranhamento. Denunciar racismo no Brasil é um debate que sempre tenta ser silenciado”, afirmou a secretária, que é mestre e doutora em sociologia pela Universidade Federal do Ceará.

A servidora pública da gestão Elmano de Freitas (PT) também comentou a questão de leis recentes que estabelecem política de cotas tanto em universidades, como em cargos de liderança. “As cotas geram polêmica, pois são disputas de bens raros, como o acesso ao ensino superior e a posições de chefia. São medidas fundamentais para o Brasil na atualidade”. 

Maria Zelma também reforçou que o racismo na sociedade brasileira é estrutural e vai além da questão do serviço público. “Das 7,4 milhões de mulheres agredidas no Brasil em 2022, 65,6% eram negras”, lamentou.

A secretária, porém, argumentou que o tema tem evoluído no país. “Quando eu era criança, detestava ir à escola, pois era um local de sofrimento. O que as pessoas chamam de bullying, na verdade era uma expressão do racismo. Mas acredito que essa realidade vem mudando, pois, hoje, minha filha adora ir à escola, por exemplo.”

A co-fundadora e Diretora Executiva do Vetor Brasil, Joice Toyota, também participou do evento e abordou a questão da formação de lideranças no serviço público. “Quando falamos em gestão estratégica de lideranças, reforçamos nosso compromisso de apoio ao trabalho dos governos no desenvolvimento contínuo de profissionais públicos, com competências técnicas e comportamentais mais adequadas para cada função, e que contribuam para a legitimidade e eficiência do serviço público. Nossa expectativa é que este Congresso contribua para o aprofundamento desse debate e que estimule conexões e trocas entre governos com desafios semelhantes”, Joice Toyota.

Realizado pelo Vetor Brasil em parceria com o Instituto Gesto e a Vamos, o Congresso de Governos por uma Gestão Estratégica de Lideranças tem apoio do Insper, que abrigou o evento em São Paulo.