Gastos globais com saúde devem alcançar US$ 18,28 trilhões até 2040

Gastos globais com saúde devem alcançar US$ 18,28 trilhões até 2040

Pesquisa intitulada “Global top health industry issues: Defining the healthcare of the future” (Principais problemas globais do setor de saúde: Definindo os cuidados de saúde do futuro), realizada pela consultoria PwC, mostra que o paciente considera um ganho poder realizar procedimentos em casa em vez de ir ao consultório ou hospital.

A possibilidade de fazer um eletrocardiograma em casa, utilizando um dispositivo conectado ao celular para o envio de dados ao médico, foi aprovada por 43,6%. Ter o marcapasso ou desfibrilador verificado remotamente pelo médico foi uma facilidade aprovada por 42,6%.

“Os pacientes estão cada vez mais preocupados em acertar e cuidar da sua saúde, por isso aumentam as decisões de autocuidado e esperam que o mercado se adapte à nova realidade. A telemedicina e a hotelaria assistida são exemplos de sucesso que mostram o quão dispostos estamos em abrir mão das consultas presenciais quando percebemos o ganho em comodidade que a tecnologia pode proporcionar. Estamos mais informados sobre saúde, queremos tirar proveito da mobilidade e esperamos por um atendimento médico personalizado” menciona o CEO da Privilege Concierge, primeiro serviço de hotelaria assistida do Brasil no Sheraton SP WTC, Antônio Geraldo da Silva MD/PHD.

Dentre as exigências do novo consumidor estão tecnologia, comodidade e personalização. A Privilege é um exemplo dessas conveniências juntas: a empresa é qualificada para oferecer a melhor estadia em assistência de saúde e cuidados, somada a um atendimento customizado e ao mais alto padrão em bem-estar e qualidade de vida.

Fora do ambiente hospitalar, a empresa vai garantir ao cliente atendimento e suporte humanizados e personalizados, tanto nas dependências do hotel quanto fora dele. Com o conceito “promoção da saúde e prevenção de doenças ”, a Privilege Concierge nasce para proporcionar ao brasileiro uma nova forma de saúde e bem-estar, se posicionando como o primeiro serviço de hotelaria assistida do Brasil.

De acordo com dados levantados pela PwC, em todos os sistemas de saúde, aprimorar a experiência do paciente pode mudar o comportamento e levar a melhores resultados ao coletar informações significativas sobre as circunstâncias sociais dos consumidores.

“Nossa prioridade é oferecer a melhor estadia em assistência de saúde e cuidados, somada a um atendimento customizado e ao mais alto padrão em bem-estar e qualidade de vida. Com atenção focada 100% na pessoa, promovendo qualidade de vida, bem-estar, cidadania e longevidade.”, destaca Antônio Geraldo da Silva MD/PHD.

Os consumidores individuais podem diferir, mas de maneira geral valorizam muitos dos mesmos aspectos da experiência do paciente. A HRI pesquisou 1.500 consumidores americanos e encontrou 12 características altamente valorizadas em cinco categorias que são comuns a todos os segmentos de consumidores – de idosos frágeis e pessoas com doenças crônicas a famílias e adultos saudáveis – para uma experiência positiva do cliente.

Os gastos globais com saúde devem aumentar de US$ 9,7 trilhões em 2015 para US$ 18,28 trilhões até 2040. Essa tendência global continuará a impulsionar as estratégias dos sistemas de saúde a curto e longo prazo.

“Os avanços na tecnologia e o desejo dos consumidores por conveniência devem impulsionar a adoção de novos cuidados, uma junção do presencial e do online, afetando completamente o sistema tradicional de prestação de cuidados. Como resultado, as organizações devem desenvolver estratégias de cuidados abrangentes e voltadas para o futuro”, finaliza.

Os players de saúde estão expandindo a saúde digital, oferecendo uma combinação de modelos de prestação de cuidados físicos e digitais. Essa mudança está aumentando entre provedores e pagadores, e o setor se tornou um polo para investidores e startups.