Artesãos aprendem a vender produtos feitos com sobras da produção de papel cartão

Artesãos aprendem a vender produtos feitos com sobras da produção de papel cartão

Depois de manter a produção de artesanato, máscaras e geleias funcionando durante a pandemia, com todos os cuidados sanitários e distanciamento exigidos, o projeto IbemArte retoma em abril as oficinas de aprimoramento para artesãos.

As aulas se realizam no Centro Comunitário mantido pela Ibema, no distrito de Turvo, no interior do Paraná, onde fica uma de suas duas fábricas de papel cartão. Criado em 2014, o IbemArte recebeu o Selo Sesi ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, da ONU) em 2017, pelo auxílio às famílias que moram nas imediações da fábrica, contribuindo, assim, para a melhoria do IDH da região central do Paraná. As peças são criadas a partir de sobras do processo produtivo do papel cartão, com resina de grande resistência e flexibilidade.

“Em 2022, a arrecadação total levantada pelos artesãos com a venda dos produtos Ibemarte foi de R$ 11 mil, soma importante para a complementação de renda dessas famílias”, conta a assistente de Responsabilidade Social da Ibema, Érica Mello.

O treinamento terá duas turmas: para artesãos iniciantes, ministrado por Marilene Czusz, e para os mais experientes, com Jucelia Czusz, especialista na finalização de peças e acabamento. Entre os temas abordados estão noções de precificação, segurança do trabalho e vendas. “A ideia é incentivar a melhoria contínua dessa iniciativa, não só ensinando a confeccionar, mas qualificando os artesãos para sustentar a venda no longo prazo e divulgar o trabalho”, conta Érica.

Atualmente, as vendas ocorrem em Turvo e mais cinco lojas de Guarapuava (PR), além das encomendas dos próprios colaboradores. Para fomentar ainda mais o projeto, em 2022 foi desenvolvido um kit de integração para novos colaboradores, onde os itens são entregues em uma embalagem do IbemArte, o que valorizou ainda mais o trabalho dos artesãos, assim como o novo ciclo das pessoas que estão chegando.

Entre as peças confeccionadas, fazem sucesso a bolsa de mate (“mateira”), caixas de bombom, bolsa de praia, cachepot e caixa de chá.

Segundo a assistente de Responsabilidade Social da Ibema, o objetivo do projeto neste ano é aprofundar o conhecimento dos participantes sobre economia circular, mostrar o processo de produção do papelcartão e como o reuso dos resíduos traz benefícios ao meio ambiente. “Queremos ajudar os artesãos a entender o processo de produção da resina e se apaixonar por seu papel na reciclagem”, explica Érica.