Mercado de startups no Brasil apresenta queda, mas segundo semestre pode ser favorável para investimentos menores

Mercado de startups no Brasil apresenta queda, mas segundo semestre pode ser favorável para investimentos menores

O primeiro semestre de 2022 foi de queda de investimentos de startups, apesar de que o de investimentos menores na área pode ser promissor para o segundo.

A constatação é do advogado especialista em negócios Marcílio Guedes Drummond.

“Mas é importante deixar claro que essa queda não foi só no país, mas no mundo inteiro e afetou principalmente as startups que já possuem um estágio maior de investimentos. A maioria delas vêm sofrendo por conta das contratações desnecessárias devido ao crescimento desordenado”, diz.

Apesar do alerta sobre a queda, o especialista comentou que para quem pensa em abrir uma startup, sobretudo de menor investimento, o mercado permanece favorável. “Isso porque ainda existem necessidades das pessoas que são atendidas somente por essas empresas”, informa.

Aconselhando quem pretende abrir uma startup, Marcílio apontou que um diferencial pode ser o tipo de produto que você pretende oferecer aos clientes, mencionando que “é preciso se perguntar sempre qual a necessidade do cliente. Isso falta muito no mercado atual. Isso pode ser determinante”, pontua.

“Reafirmo a importância de um advogado, não só especialista na área jurídica, para lhe auxiliar na validação de tudo, mas também com experiência no mercado de negócios para lhe orientar”, aconselha.