Parceria oferece apoio à internacionalização de startups brasileiras

Startups deep techs brasileiras apoiadas pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial e que desenvolveram produtos inovadores no mercado brasileiro terão agora a oportunidade de participar de um programa que permite incursão no mercado norte-americano. As empresas vão dialogar com potenciais parceiros, clientes e investidores internacionais, com a intenção de se estabelecer nos Estados Unidos e aprimorar as suas vantagens competitivas. A troca de experiências será possível a partir do acordo entre a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), assinado nesta sexta-feira (23), durante a Reunião de Líderes da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), em São Paulo. A parceria com a CNI ocorre graças à cooperação com a SOSA, empresa global de inovação aberta.

“A Embrapii quer se tornar referência de apoio às startups deep techs. A parceria vai fomentar empresas que estejam em fase de crescimento e cuja instalação em um país estrangeiro possa representar uma alavancagem em seu plano de negócios”, destaca o diretor-presidente da Embrapii, José Luis Gordon.

O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, também enfatizou a relevância da sinergia entre as entidades. “Este é um importante acordo com uma das principais instituições de apoio à inovação do país. Ressalto que a Embrapii foi concebida aqui, no âmbito da MEI”, afirmou.

Já a diretora de Inovação da CNI, Gianna Sagazio, analisou as vantagens dos participantes no programa: “Estamos empenhados em aumentar a competitividade das startups brasileiras por meio do Programa de Internacionalização de Startups CNI+SOSA. A parceria permitirá que elas façam conexões, se capacitem e consigam se instalar no ecossistema de inovação dos EUA, que tem grande potencial para contribuir com a inovação no Brasil”, destaca.

Sobre o apoio

O programa vai selecionar quatro startups já apoiadas pela Embrapii e irá oferecer viagem aos Estados Unidos e participação em todas as atividades a um representante de cada empresa, proporcionando encontros de relacionamento e troca de ideias com possíveis parceiros. O cronograma de atividades prevê uma etapa inicial online, para definição de estratégias e capacitação em temas como marketing, construção de time e compliance para internacionalização. Em dezembro, haverá a fase presencial de até duas semanas, quando os participantes poderão conhecer mais do ecossistema de indústria e inovação dos Estados Unidos, para estabelecerem conexões com possíveis parceiros e investidores.