Sete pontos para líderes identificarem e evitarem a autossabotagem

O ambiente organizacional pode estar contaminado pelo pensamento de autossabotagem dos responsáveis por dirigirem o negócio. O gestor financeiro Vinícius Guarnieri é o autor do livro ‘Consciência Transformadora – Transformando pessoas e recuperando empresas’. No terceiro capítulo da obra, ele destaca ações para evitarem que essa autossabotagem ocorra.

Segundo Guarnieri, o sucesso das empresas obviamente está ligado às contribuições de líderes e colaboradores das empresas. Entretanto, em meio às atitudes vencedoras, podem ser detectadas ações altamente prejudiciais ao negócio.

“O consciente determina vencer, enquanto o inconsciente, muito mais expressivo, dissolve as possibilidades aparentes de sucesso. Neste momento, o olhar do líder deve ser para a verificação de quais e quão profundas são as raízes das crenças nocivas que se infiltraram e determinar o plano para ‘removê-las’, assim como se faz com as plantas daninhas de um potencial jardim, para o posterior plantio de sementes de crenças promissoras”, sugere o autor.

Guarnieri destaca ainda que o processo de autoconhecimento é essencial. Não basta perceber que está se autossabotando, é preciso remover as barreiras colocadas entre o sonho e a realização, entre a mente criadora e a obra a ser concretizada.

Para ajudar nesse processo reflexivo, Guarnieri detalha SETE pontos de reflexões, a fim de evitar que o profissional caia no precipício da autossabotagem:

1.            Projetos novos não trarão, necessariamente, os resultados financeiros que almeja, principalmente se os classifica como ‘tábua de salvação’;

2. Armadilhas podem estar disfarçadas de oportunidades. A autossabotagem dificulta essa percepção;

3.            Você não é o único detentor de soluções, simplesmente por conhecer bem o seu negócio. Provavelmente, já desprezou melhores soluções que as suas, sugeridas por colaboradores.

4.            Desarme-se! Nem todos que se aproximam são inimigos ou querem seu dinheiro.

5.            Ouça mais e avalie melhor o que declaram seus parceiros de negócio. Há quem fale a verdade sem intenção alguma de humilhá-lo, mas por respeitar sua essência;

6.            Negar o problema é a forma mais evidente de se autossabotar;

7.            Busque a condução de um profissional e se entregue, criteriosamente, ao processo de autoconhecimento. Faça uma análise pregressa da sua vida. Talvez constate o quanto já sabotou os próprios sonhos.