Tatuadores que optam por abrir o próprio negócio buscam mentorias

Com o passar dos últimos anos, diversas profissões obtiveram uma crescente significativa em relação à mão de obra e serviços disponibilizados para os consumidores brasileiros e em todo o mundo. Um desses exemplos está direcionado ao tatuador, que mesmo diante da pandemia da covid-19, registrou uma crescente de profissionais no mercado. É o que afirma uma pesquisa divulgada pela IBIS World, onde aponta que a indústria global de tatuagem cresceu cerca de 23.2% em 2021.

No entanto, essa crescente pode estar relacionada também a busca da capacitação e preparação desses profissionais que optam cada vez mais por abrir o seu próprio negócio.

De acordo com os dados obtidos a partir de uma análise do Sebrae sobre os números do Cadastro Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), cerca de 98% dos tatuadores e profissionais de body piercing que pretendem ter seu próprio estúdio têm procurado a formalização do ofício por meio da figura jurídica do Microempreendedor Individual (MEI).

Ainda segundo os dados, a taxa de participação de microempreendedores individuais encontra-se em torno de 68%, considerando a média dos diversos segmentos econômicos.

Para que essa profissionalização possa acontecer, por muitas vezes é necessário um acompanhamento de profissionais que já atuam a muito tempo na área e usam do seu conhecimento para ensinar e orientar os mais novos tatuadores.

Um exemplo disso é a mentoria do “Tuzinho Tattoo”, realizada por um dos mais renomados tatuadores do país, o Anderson Ferreira, que ambos são sócios da empresa responsável pelas mentorias, que durante os últimos anos já formou e auxiliou diversos profissionais no Brasil.

“A mentoria é um acompanhamento, que auxilia e ajuda os novos e até os mais antigos tatuadores no país. O que fazemos hoje é uma coisa revolucionária no mercado, atualmente não existe nada igual no mundo tatuagem. Ou seja, proporcionamos para o nosso consumidor algo que vai além daquele momento de fala, porque a partir do momento que ele adquire o nosso serviço, ele terá contato direto com a gente através do WhatsApp, ele vai fazer exercícios, ele vai fazer workshops, tem uma série de coisas pra ele fazer que irá orientá-lo em todos os momentos da sua carreira”, disse Anderson.

Ainda segundo o mentor, esse tipo de serviço só garante ao tatuador uma série de benefícios que irá agregar cada vez mais na qualidade do seu trabalho. Porque além do aprendizado a mentoria permite ao profissional “uma ajuda na independência financeira do tatuador, através disso será possível poder construir uma história, e o nome com credibilidade e referência no mercado”, complementou o mentor.

Vale ressaltar que o aumento desses profissionais que optaram por abrir o seu próprio negócio está cada vez mais presente em quase todos os territórios brasileiro, isso porque ainda segundo os dados do Sebrae, a abertura de pequenos negócios do ramo de tatuagem e body piercing concentram-se nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Em São Paulo, o número de novos MEI cresceu 46%, passando de 405 para 592, no período mencionado. No entanto, em outros estados foi possível verificar aumentos ainda mais expressivos, como Santa Catarina, com crescimento de 150%; Distrito Federal, com 111%; Bahia, com 93% e Minas Gerais, com 87%.