Jordânia tem interesse por peixes brasileiros de todas as espécies

Jordânia tem interesse por peixes brasileiros de todas as espécies

Comitiva com o ministro Marcos Pontes, empresários brasileiros e CCAB – Câmara de Comércio Árabe Brasileira está em visita aos países árabes. Em visita à Jordânia, entre os diversos assuntos discutidos, empresários brasileiros visualizaram oportunidades de exportarem peixes de todas as espécies para este país. Segundo fontes da reunião, Jordânia pode se transformar em um grande hub de exportação de peixes para o mundo árabe. Indicativos ainda demonstram que há vários importadores interessados e alguns deles devem participar de um grande evento destinado ao atacado e varejo, em São Paulo, em busca de produtores para fechar negócios lucrativos.

“Recebemos esta notícia com entusiasmo, porque o Brasil tem se tornado um grande produtor de peixes. Só de tilápias, o país produziu cerca de 841 toneladas em 2021. Informações de mercado mostram que ano a ano a atividade supera as dificuldades do cenário econômico e mantém média de crescimento de 5,6% desde 2014 em toda a cadeia produtiva”, comenta o diretor de Operações da CDIAL Halal, Ahmad Saifi.

No Brasil a atividade de cultivo é extremamente profissional, trabalha com boas práticas e utiliza modernas tecnologias em genética, sanidade, nutrição e equipamentos, de acordo com o Anuário PeixesBr de 2021 (Associação Brasileira da Psicultura). Segundo monitoramento da entidade, a piscicultura envolve mais de 1 milhão de produtores e, em 2021, movimentou R$ 8 bilhões no mercado nacional.

E as exportações continuam crescendo fortemente. De janeiro a março deste ano, as exportações somaram 2,5 mil toneladas e US$ 7 milhões em faturamento. “Hoje, o maior importador de peixes brasileiros são os Estados Unidos. Mas nada impede que nossos peixes ocupem cada vez mais as mesas dos árabes, principalmente, dos árabes muçulmanos. As espécies mais comentadas durante nossa visita foram Tambaqui e Pacus. Agora é aproveitar a oportunidade e focar nossos olhares para abastecer este mercado ávido por nossos peixes. São mais de 200 milhões de pessoas que residem nos 22 países que compõem a Liga Árabe”, finaliza Saifi.