Quatro cargos em tecnologia para pensar além da programação

O mercado de tecnologia segue sendo o que mais cresce no Brasil e no mundo. Até o final deste ano, no país, os investimentos no setor devem totalizar mais de R$ 345 bilhões, segundo pesquisa da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação – Brasscom. A oferta de vagas para trabalhar no ramo também é grande. Serão quase 800 mil novas vagas criadas no Brasil até 2025, segundo a entidade.

É comum a área de programação ser a mais lembrada quando se fala desse mercado de trabalho, mas outras posições também são relevantes e podem trazer carreiras promissoras. Pensando nisso, Joel Backschat, CTO do Grupo FCamara e host do Podcast Orange Juice, ecossistema de tecnologia e inovação que potencializa a transformação dos negócios ao prover desenvolvimento e soluções tecnológicas, comenta o papel e a importância de quatro outros cargos para inspirar quem planeja fazer carreira na área de tecnologia:

1. Segurança da Informação

A segurança de dados é cada vez mais relevante nas organizações, tendo em vista o volume expressivo de ataques cibernéticos e as exigências relacionadas à proteção de dados pessoais. “O profissional que atua nessa área tem como responsabilidade assegurar a confidencialidade dos dados e garantir que eles sejam acessados apenas por quem tem permissão ou direito. Isso envolve manutenção e atualização de sistemas, adoção de ferramentas de proteção, monitoramento de fluxo de redes para identificar vulnerabilidades, administração de sistemas e recursos, entre outros requisitos”, explica Joel.

2. Scrum Master

Como o próprio nome sugere, o profissional em questão é o mestre do Scrum, uma metodologia voltada ao desenvolvimento ágil de softwares e de outros projetos. Sua função é liderar a equipe, orientar e apoiar seus membros, facilitar a comunicação e a colaboração entre eles, guiando as atividades para que elas ocorram da maneira esperada. ”O Scrum Master fica responsável por garantir que seu time entenda os princípios da metodologia Scrum, potencializando o trabalho da equipe e da empresa como um todo. Por isso, é desejável que ele tenha boas habilidades de comunicação e proatividade”, aponta o executivo do Grupo FCamara. 

3. Product Owner

Esse profissional também faz parte da equipe Scrum, mas seu papel é obter o valor máximo para uma solução gerada na empresa. De forma prática, pode-se dizer que o Product Owner representa os usuários do produto, atuando para que ele seja o mais satisfatório possível, sem deixar de atender ao orçamento e aos interesses da organização. “Esse profissional define prioridades, acompanha os processos, interage com o time para tirar dúvidas e cuida para que o ciclo de desenvolvimento do produto transcorra de forma rápida e econômica, porém eficaz e sem descuidar da qualidade, até porque é ele quem defende o interesse do usuário e busca uma experiência positiva nesse sentido. Ele também costuma ser incumbido do portfólio de produtos da organização”, comenta Joel.

4. QA (Quality Assurance)

Nesse cargo, a principal responsabilidade é garantir a qualidade no desenvolvimento de um produto ou serviço. O QA deve fazer essa avaliação de acordo com as exigências do cliente e com requisitos técnicos estabelecidos, prevenindo falhas e não conformidades. “Além da qualidade, ele avalia aspectos como segurança e credibilidade no desenvolvimento de software, tudo isso por meio de testes alinhados às estratégias de negócio e aos requisitos que devem ser cumpridos”, ressalta o CTO.