Cinco passos para escolher o melhor software de recrutamento

ATS (Applicant Tracking System) ou Software para Gestão de Recrutamento e Seleção é uma ferramenta tecnológica que pode tornar-se o braço direito do RH que busca ter um recrutamento orientado por dados, já que ela faz a compilação de todas as informações  do processo e ainda fornece painéis para análise.

No entanto, com tantas opções disponíveis no mercado brasileiro, o gestor de RH acaba tendo dúvidas na hora de escolher qual ferramenta mais se adequa às necessidades da sua empresa.

Atrair mais candidatos, reduzir o tempo de fechamento das vagas e centralizar os processos seletivos são alguns dos benefícios proporcionados por essa tecnologia. “É possível garantir estas vantagens adotando bons softwares de Recrutamento e Seleção”, pontua Alisson Souza, CEO e cofundador da abler, startup que visa trazer facilidade e efetividade aos processos seletivos.

Segundo o empresário, com essa ferramenta é possível acelerar e qualificar as contratações, identificando os melhores talentos disponíveis no mercado.

Para ajudar os gestores de RH a escolher o software mais adequado às suas necessidades, Alisson aponta cinco passos que considera fundamentais para fazer uma escolha assertiva.

  • Faça um mapeamento das demandas do RH

O ideal é que o software escolhido seja aderente às rotinas do RH. Logo, o primeiro passo é fazer o mapeamento de todas as atividades da área. Registre o andamento de cada etapa do recrutamento, da abertura à admissão.

  • Avalie as funcionalidades da ferramenta

Após mapear seus processos internos e identificar os gargalos, é hora de avaliar quais as funcionalidades da ferramenta são indispensáveis para o perfil da sua área.

Avalie, por exemplo, quais rotinas podem ser automatizadas com mais facilidade e eficiência para os processos de RH.

A definição das funções mais relevantes do software depende do perfil da própria área e de seus processos. Sua equipe perde muito tempo com a triagem dos candidatos? Então, priorize uma ferramenta que automatize esta parte do processo.

  • Considere a praticidade e usabilidade da ferramenta

É importante ter em mente que a função do software é facilitar as rotinas do RH. Logo, a ferramenta deve ser prática e simples de utilizar, além de fornecer dados para análises, facilitar a divulgação das vagas e a comunicação entre o recrutador e as pessoas candidatas. Tudo de forma centralizada e simples.

Tudo isso com a vantagem adicional de tornar amigável a participação das pessoas candidatas, gerando uma experiência positiva.

  • Compare as opções

Depois de detalhar o que é mais importante para o trabalho do RH, é hora de identificar e comparar as soluções disponíveis no mercado. A partir daí, a missão é identificar a solução mais completa para a sua demanda, com a melhor relação custo-benefício.

  • Solicite uma demonstração

Antes de bater o martelo quanto ao software escolhido, é importante conhecer um pouco mais sobre o seu desempenho na prática. O que funciona com perfeição na teoria, muitas vezes pode não ter o mesmo resultado no dia a dia. Agende uma reunião com um representante para que ele faça uma demonstração completa da ferramenta.