Mercado imobiliário do futuro: tecnologia, atendimento e o novo corretor

O mercado imobiliário é conhecido por ser tradicional. Entretanto, essa afirmação já não pode ser aplicada ao setor. Isso porque, nos últimos anos, o mercado tem passado por mudanças significativas no que se refere à transformação digital imobiliária.  

Segundo Rafael Scodelario, especialista do mercado imobiliário e dono da Escodelar Inteligência Imobiliária, é válido ressaltar que esse processo relacionado à tecnologia foi impulsionado pela pandemia de covid-19.  

“Com as recomendações de isolamento e de distanciamento social, as pessoas passaram a ter novas necessidades e preferências. Para acompanhar as mudanças, o mercado imobiliário precisou se reinventar como nunca antes”, explica Scodelario. 

O especialista afirma que o mercado imobiliário do futuro será marcado por três fatores essenciais: tecnologia, atendimento e um novo corretor de imóveis. “Essa tríade já está presente no setor hoje, mas tende a ser tornar ainda mais importante com o passar dos meses”, pondera. 

No que se refere à tecnologia, Scodelario aponta que os clientes do setor de imóveis não estão dispostos a passar por processos demorados e burocráticos.  

“Hoje, o consumidor já sabe que as transações imobiliárias podem ser mais simples e menos burocráticas, especialmente por conta da tecnologia. Se uma empresa do setor imobiliário deseja se tornar ou continuar competitiva no mercado, não pode ignorar esse fato”, aponta. 

O atendimento é outro fator de destaque não só para o mercado imobiliário do futuro, mas também da atualidade. Isso ocorre porque, em consonância com as mudanças de comportamento, os consumidores passaram por mudanças de preferências. 

“O cliente não quer mais esperar para ser atendido e não aceita um atendimento sem qualidade. Se uma imobiliária não direciona seus esforços para o atendimento do consumidor, precisa rever seus processos, uma vez que o relacionamento entre cliente e empresa irá determinar a satisfação do consumidor após a concretização da venda”, explica Scodelario. 

Por fim, o especialista ressalta a atuação do novo corretor de imóveis, que, assim como as empresas do setor, vai precisar se adaptar. 

“Tanto a tecnologia quanto o atendimento, que foram apontados acima, não se sustentam sem o corretor de imóveis. O mercado está se tornando cada vez mais tecnológico, mas a figura do corretor é essencial. Por isso, o profissional precisa entender o contexto atual do mercado, bem como as mudanças de comportamento apresentadas por seus clientes”, finaliza o especialista.