Conheça soluções de gestão financeira para pequenos varejistas

Conheça soluções de gestão financeira para pequenos varejistas

Desde o início da pandemia da covid-19, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) alerta que a menor taxa de sobrevivência entre os pequenos negócios está relacionada à capacidade de gestão. Para a Tiba, fintech de soluções financeiras para o pequeno varejo, é preciso resolver a dor da gestão financeira saudável para que esses empreendedores consigam furar a arrebentação que provoca a mortalidade de quase um terço dos negócios com menos de cinco anos de atividade. Para isso, o CEO Ramires Paiva preparou cinco dicas de gestão. “Esses pequenos empreendedores demandam contabilidade, folha de pagamento, contas a receber, contas a pagar e não têm tudo isso numa solução só. A nossa experiência mostra que pequenas mudanças no dia a dia podem ser úteis na gestão de qualquer negócio”, diz o fundador da Tiba. Veja, a seguir, as cinco dicas preparadas pelo especialista:

1) Controle de caixa eficiente 

Por mais básico que seja, é preciso dar atenção qualificada ao movimento de entradas e saídas do dinheiro do caixa da empresa. Um bom fluxo de caixa detalha todos os ganhos e gastos, com disciplina e sem erros. O recorte pode ser diário, semanal ou mensal, mas é importante que os valores sejam transparentes para o empreendedor. Isso garante ferramentas para analisar o negócio. 

“Um grande erro é pensar que temos experiência o suficiente para controlar tudo só de olhar. Isso pode criar a falsa impressão de que tem dinheiro sobrando na empresa e impede olhar os gastos que vêm pela frente. Neste cenário, a realidade financeira da empresa pode ficar escondida.”

2) Otimize a gestão do estoque

O controle de estoque vai muito além de não deixar o produto faltar. Quando se consegue ter dados para se pensar estratégias, é possível ter informações reais sobre cada item chave, se há margem de segurança, se os fornecedores estão alinhados com a estratégia, se a demanda tende a aumentar em alguma época, entre outros. Ter um sistema de vendas e estoque especializado e completo para a gestão permite que o olhar de todos da empresa fique mais atento à estratégica do que no operacional.

“Uma má gestão de estoque pode levar sua empresa a um armazenamento inadequado de produtos, que poderão se tornar obsoletos no decorrer do tempo ou mesmo ter o prazo de validade expirado, gerando desperdícios e prejuízos.”

3) Estipule metas e faça previsões de cenários futuros

Para que o seu negócio cresça de forma saudável e efetiva, a estipulação de metas é essencial para conquistar novos recursos para o seu negócio. Definindo um planejamento estratégico, as metas servem como um ponto de chegada na trajetória anual da empresa. No início de cada ano, deve-se definir a meta para ser adquirida durante o ano, o semestre e os meses. 

“Uma das maiores dificuldades no Varejo está em traçar previsões futuras do próprio negócio alinhadas com as tendências do mercado. Independentemente da fase em que sua empresa se encontra, ou o tamanho dela, elaborar um planejamento vai preparar você a para enfrentar as variações na demanda por produtos ou serviços da sua empresa.”

4) Contabilize os gastos e não esqueça do plano de contas

Contabilize os gastos do seu negócio, tendo em vista o registro de todas as entradas e saídas da empresa. Desta maneira, será possível checar o que pode estar fora de controle para, então, se necessário, ser revisado. Categorizar os gastos da empresa pode dar uma dimensão do que pode ser melhor controlado ou otimizado.  

“Na correria do dia a dia, muitos empresários passam a não ter tempo de fazer este controle e acabam se perdendo em meio às atividades financeiras de uma empresa. Anote todas essas movimentações, seja numa planilha ou no seu sistema ERP, desde que fique evidente e que você consiga analisá-los depois.”

5) Defina orçamentos

Sua empresa funciona como um corpo humano. Precisa que todos os órgãos estejam saudáveis para se manter em pé. Seu negócio também é assim. Cada área precisa ser olhada com atenção, seja a área financeira, de marketing ou de vendas. Elas precisam ter condições e estrutura para funcionar, com um centro de custos próprio. Por isso, defina orçamentos para cada uma das áreas, estabelecendo quanto financeiramente cada uma destas áreas pode investir ou usar para aprimoramento. Com o orçamento fechado, não deixe que o custo se exceda, mas cuide para que não fique abaixo do esperado também.

“É um erro definir um orçamento igual para todas as áreas, desconsiderando as diferenças de gastos de cada uma. Destinar o mesmo orçamento pode gerar um desequilíbrio, uma vez que cada setor da empresa tem necessidades específicas.”