Pequenas soluções em segurança industrial podem garantir integridade de empregados

Conseguir evitar acidentes de trabalho é um desafio para o mercado brasileiro. Segundo o Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho, elaborado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Brasil está no topo do ranking de mortalidade por acidentes de trabalho do G20, atrás apenas do México, com seis mortes a cada 100 mil empregados formais.

A cada 15 segundos, o mundo registra uma morte ocasionada pelo exercício de atividades econômicas, seja por falta de condições e equipamentos de segurança, seja pela operação de maquinários.

Conseguir prevenir e evitar acidentes é a única maneira de diminuir esses números. A ineficácia da prevenção é maior culpada, tanto pela falta de utilização de equipamentos de segurança pelos funcionários como por conta ausência de treinamentos e ferramentas necessárias pelas empresas.

Para garantir a integridade dos funcionários de indústrias, por exemplo, existem várias soluções disponíveis, como é o caso da lubrificação industrial. Pensando na dificuldade de alcançar locais e componentes de máquinas, o mercado oferece lubrificantes automáticos, como Hove, Memolube e Lubvapmatic, que podem ser instalados em pontos estratégicos e despejam, automaticamente, a quantidade adequada para a lubrificação.

“Os lubrificadores automáticos são uma ótima opção para quem preza ela segurança dos funcionários. O produto tem a mesma eficácia dos lubrificantes convencionais e garantem a segurança do trabalhador”, explica Luiz Maldonado, CEO da Lubvap e especialista em lubrificação industrial.

Além da segurança, os lubrificadores facilitam a manutenção em pontos de difícil acesso. A durabilidade do produto melhora a confiabilidade da máquina, já que mantém um fornecimento automatizado por muito tempo, evitando o desgaste das peças. “O custo-benefício é o melhor do mercado. O equipamento não para de funcionar e o colaborador tem a certeza de que sua vida está sendo valorizada naquela empresa”, finaliza o especialista.