Empresas apostam em mídia espontânea para gerar mais credibilidade ao negócio

Empresas apostam em mídia espontânea para gerar mais credibilidade ao negócio

Muitos empreendedores estão em busca de assessoria de imprensa para gerar maior credibilidade e relacionamento com o público, porém muitos ainda não entendem a diferença com a publicidade. 

Uma das principais divergências é que na assessoria de imprensa o movimento para veicular a empresa na mídia é negociado com base em um release ou sugestão de pauta, que será aprovado pelo veículo de acordo com a relevância do assunto. Na publicidade, existe a possibilidade de escolher o tamanho do texto e lugar onde será posicionado o anúncio.

O principal trabalho da assessoria de imprensa é fazer essa ponte que liga o cliente, responsável por obter dados relevantes e ser autoridade no assunto, e a imprensa, que irá publicar o texto e direcionar ao leitor. Porém, o resultado final, que é a publicação da matéria, será definido pelo editor do veículo, ele será determinante para dar a resposta final sobre o espaço em que será publicado, se terá entrevista com o porta-voz, além de outros detalhes.

Outro fator que diferencia a assessoria de imprensa com a publicidade, é a maior credibilidade que o público tem com a publicação espontânea. Segundo um estudo global da Nielsen, 92% das pessoas confiam mais em recomendações que partem de outras pessoas do que em propagandas. Isso significa que, ao sair em uma matéria de utilidade pública, gerando prestação de serviço, a marca irá gerar mais credibilidade e reputação para o negócio.

De acordo com a diretora de comunicação da Fatos&Ideias Comunicação – empresa de assessoria de comunicação focada em fortalecer a marca de empresas no mercado por meio da mídia – Renata Brito, receber uma menção espontânea de algum veículo é uma grande conquista. “Isso simboliza muito e gera uma enorme confiabilidade para as empresas, pois estamos em um espaço imparcial. Quando falamos da propaganda, é uma conquista parcial.”

Objetivos da assessoria

Um dos propósitos da assessoria de imprensa é identificar, juntamente com os seus clientes, quais os assuntos mais pertinentes e que sejam de interesse coletivo, para atingir um determinado grupo de pessoas. Após esse processo, é feito o contato com jornalistas e editores, sugerindo a publicação nos veículos de comunicação.

Esse processo já é diferente na publicidade, pois apesar de também divulgar informações sobre o seu cliente, ela é feita por meio de anúncios, não tendo o seu foco no interesse público e sim nas vendas dos seus produtos e serviços.

“O contato para desenvolver algum material publicitário não será feito assim como é desenvolvido pela assessoria de imprensa, entre jornalistas e editores, mas com o departamento comercial dos veículos, para definir a compra do espaço e a veiculação de anúncios e comerciais”, explica Brito.

Diferenças

A assessoria de imprensa e a publicidade se divergem em vários âmbitos e um deles é no controle da informação que será publicada. A publicidade tem controle total sobre o conteúdo que será divulgado, pelo fato dela estar comprando aquele espaço. Dessa maneira, o anúncio será publicado de acordo com o que foi criado e no espaço adquirido pelo cliente.

“A assessoria não tem o controle de que todo o conteúdo será publicado, pois ela irá enviar um release para o veículo e, após isso, o jornalista define se usará o material na íntegra, se utilizará como uma nota, se terá entrevista com o cliente e também se a matéria estará em um local de destaque. Ou seja, tudo vai depender do interesse do veículo e do jornalista no assunto”, afirma Renata.

A diretora de comunicação da Fatos&Ideias ressalta que a assessoria de imprensa não paga para gerar publicações de matérias. “Quando o veículo se sentir interessado pelo assunto, ele irá fazer a publicação da maneira com que ache mais adequado e no espaço que definir, mas totalmente gratuito. A publicidade sempre terá que pagar por aquele espaço.”

Matéria paga e matéria espontânea

Outro recurso utilizado pela publicidade é a matéria paga, que nada mais é do que um anúncio publicitário. Com isso, o público, geralmente, já sabe que aquelas informações veiculadas no anúncio foram produzidas pela empresa.

“A assessoria de imprensa, por sua vez, quando conquista o espaço gratuitamente, agregará para a empresa noticiada mais segurança sobre o assunto, pelo fato do público saber que quem está transmitindo as informações é um jornalista, que por sua vez é imparcial, não sendo produzido pela própria empresa”, comenta Renata.

Renata ainda destaca que por conta de as matérias publicadas não serem pagas, o cliente da assessoria de imprensa irá custear apenas pelo serviço que é prestado pela agência. “Na publicidade, além de pagar pelos serviços da agência, a empresa contratante também terá que pagar pelo espaço publicitário no veículo de comunicação, que na maior parte dos casos possuem custos altos.”

Custo-benefício

Outra vantagem encontrada na assessoria de imprensa é o seu custo-benefício. Na publicidade, como dito anteriormente, a empresa terá que contratar uma agência, além dos espaços publicitários que a marca terá que investir a parte.

“Na assessoria de imprensa, esse processo é outro, pois é cobrado somente um valor mensal para a agência contratada, independentemente da quantidade de publicações que houver na mídia”, finaliza Renata.