Sistema Online de Cartórios ajuda na desburocratização do setor, diz especialista

Sistema Online de Cartórios ajuda na desburocratização do setor, diz especialista

Passou a vigorar no país o Sistema Online de Cartórios (SERP), que obriga os órgãos públicos a oferecer, de forma remota e eletrônica, os serviços de registro público. Para o co-CEO da CBRdoc, Rafael Galante, a medida padroniza os serviços prestados e melhora a vida de todo mundo.

A partir de agora, documentos e títulos poderão ser enviados de forma eletrônica. Além disso, as certidões passam a ser liberadas via assinatura eletrónica avançada ou qualificada. E os processos para a oficialização dos casamentos não vão precisar mais da presença física de um oficial de registro civil. 

“A digitalização acelera os processos internos das empresas, além de reduzir o “Custo Brasil”, favorecendo o ambiente de negócios. Esta medida está totalmente alinhada com uma das missões da CBRdoc: reduzir o excesso de burocracia do Brasil”, explica Galante. 

“O Brasil é um país de dimensões continentais, com muitas diferenças entre suas regiões. Padronizar e centralizar os serviços em uma única plataforma é um grande desafio para os Cartórios, que devem ser reconhecidos por todo o esforço e empenho empregado na criação deste sistema. Isto facilitará a vida de milhões de pessoas que precisam dos serviços no país todo”, garante.

Sistema de Registro Eletrônico de Imóveis

Além do Sistema Online de Cartórios, também passa a vigorar o Sistema de Registro Eletrônico de Imóveis (SREI). Com ele, será possível levantar os imóveis ligados a um determinado CPF ou CNPJ. O sistema vai acelerar a consulta a entraves e restrições a qualquer imóvel do país.

“O SREI pode ser considerado uma das peças importantes para agilizar a aquisição de empresas, M&As ou Due Dilligence. É um sistema complementar à CBRdoc, à medida em que essas informações, somadas aos dados oriundos de outros órgãos como: Fóruns, Tribunais, Receita ou SEFAZ, organizadas, formam uma sólida base para uma tomada de decisão mais assertiva ”, finaliza Galante.