Como dizer adeus: uma jornada sensível pelo luto na infância

A infância é uma fase mágica para criar lembranças afetivas e compartilhar momentos com as pessoas que se ama. Mas quando um ente querido morre, como compreender o sentimento de perda? No livro Eu queria poder te dizer, o escritor canadense Jean-François Sénéchal e a ilustradora japonesa Chiaki Okada apresentam uma narrativa poética, com desenhos delicados, sobre o tema do luto na infância para que as crianças aprendam a lidar com a tristeza, a solidão e a saudade.

Neste lançamento da VR Editora, o pequeno leitor acompanha a jornada emocional de uma raposinha que recebe a triste notícia da morte de sua amada avó. Deprimido com o acontecimento, ele encontra consolo nas recordações felizes que viveram juntos, nos lugares que frequentavam, e expressa os próprios sentimentos conflitantes ao escrever uma carta sincera.

Procurei por você em todos os lugares.
Em todos aqueles que só você e eu conhecíamos.
Não consegui te encontrar em lugar nenhum.
[…]
Hoje estou escrevendo para você.
Sei que você nunca vai ler minha carta.
Mas estou escrevendo mesmo assim.
Eu queria poder te dizer…
Eu te amo.
E adeus.

Eu queria poder te dizer, p. 14 e 19

Por meio das ilustrações acolhedoras de Okada e da escrita sensível de Sénéchal, o autor e a artista gráfica ensinam às crianças a expressar as emoções. Afinal, é preciso saber trabalhar com os momentos de tristeza de forma leve e gentil, seja ao criar desenhos que expressem a angústia, pela escrita, ou em conversas com os adultos. 

Mais do que uma história infantil que ensina sobre ressignificar perdas, Eu queria poder te dizer é uma lição de que as pessoas que passam pela vida de cada um nunca os deixam de verdade. Elas sempre estarão vivas na memória e no coração. Ao seguir a trajetória da raposa, os leitores vão aprender sobre aceitação e a descobrir maneiras saudáveis de lidar com a melancolia, o que torna a leitura acolhedora para todas as idades.

Deixe um comentário