Roberto Maciel: “Qual é a viabilidade de Luizianne Lins? Essa é uma pergunta que talvez nem ela saiba responder”

Artigo do jornalista Roberto Maciel, editor do Portal InvestNE:

Nestes dias de folia, não é custoso reservar alguns momentos para reflexões políticas. É o que proponho agora. Nem tudo é folia, desculpe-me pela lembrança estraga-prazer.

Lendo artigo do publicitário Ricardo Alcântara publicado neste portal, sob o título “Os quatro desafios que a política faz a Evandro”, encontramos uma observação pra lá de pertinente:

“O primeiro (dos quatro desafios que a política impõe ao deputado Evandro Leitão) deve ter seu desfecho em menos de sete semanas: receber ou não a indicação do PT como candidato. Para isso, terá que vencer, como noviço no mosteiro, uma batalha interna contra a veterana Luizianne Lins e outros três petistas, todos de papel passado.

Pode vencer? Pode, desde que consiga evitar que o processo de escolha se transfira para o leito turbulento das prévias, quando a decisão é toda transferida para a base militante e um imprevisível eleitor, o Sobrenatural de Almeida, costuma comparecer às urnas.”

Ricardo Alcântara

Essa situação nos leva a considerar aspectos de uma tal viabilidade eleitoral.

Luizianne na filiação de Cid Gomes: bem-comportada

Ricardo cita nominalmente a deputada Luizianne Lins (foto acima), razão pela qual a tomamos como referência – como ele não deu os nomes dos outros “três petistas, todos de papel passado”, tratarei-os com a mesma indiferença, perdão pelo mal jeito.

Qual é, hoje (acho a expressão “a preço de hoje” um lugar-comum horroroso, de larga e funda pobreza vernacular, daí me recusar a usá-la) a viabilidade eleitoral de Luizianne? O que ela ostenta de capital político para atrair votos? Foi uma prefeita inesquecível? Deixou um legado importante para a cidade? Mostrou-se política de competência exemplar? As relações que tem com aliados e parceiros são boas? Foi muito bem avaliada pelos cidadãos? Tem excelentes propostas para continuar o que deixou por fazer? As teses políticas que defende superam as dos demais? Têm maior adesão popular? São exequíveis? Favorecem a organização e a coesão partidárias?

Cada um desses pontos merece ser avaliado com atenção pela leitora e pelo leitor. Será essa análise fundamental para que se defina, no entremuros petista, um nome capaz de mobilizar não apenas a militância, mas a direção do partido.


A presença de Luizianne Lins no palanque em que se consagrou a entrada do senador Cid Gomes no PSB, no último dia 4, posando de bem-comportada e disciplinada militante, pode ser indicativo que ela mesma – até ela! – não está muito segura de ser eleitoralmente viável … a preço de hoje”.


Voltemos à folia: há de ser melhor.

Deixe um comentário