Antecipação de recebíveis movimenta economias local e nacional

Antecipação de recebíveis movimenta economias local e nacional

No Brasil, o ano de 2023 foi encerrado com 71,1 milhões de pessoas em situação de inadimplência, de acordo com dados da Serasa Experian. ”Sempre que o cliente de uma empresa deixa de honrar um pagamento, a companhia fica suscetível à perda de receita, o que tem potencial para prejudicar tanto a estabilidade e o crescimento do negócio quanto a capacidade dessa organização de manter os empregos que gera. Ou seja, é uma situação em que todos os envolvidos perdem”, explica Cristiano Belo, gerente administrativo da atify Capital, instituição financeira especializada em oferecer serviços de fomento mercantil e gestão de crédito.

O executivo destaca que, para crescer e se estabilizar financeiramente longe dos riscos da inadimplência, organizações de todos os portes têm recorrido à antecipação de recebíveis. “Ter um fluxo de caixa saudável é fundamental para que a companhia possa seguir o ritmo demandado pelo mercado e prestar sua contribuição para o desenvolvimento do País”.

Antecipação de recebíveis é um recurso mais vantajoso do que empréstimo e financiamento

Como explica Cristiano, a antecipação de recebíveis é, na prática, uma linha de crédito oferecida por uma empresa de factoring. Por meio dessa operação, uma organização recebe à vista os recursos financeiros de uma venda de produtos e/ou serviços feita a prazo, seja por meio de boletos bancários, cartões de crédito ou cheques pré-datados. “É uma maneira simplificada e rápida de ter acesso antecipado a um dinheiro necessário para determinado momento sem precisar se submeter às burocracias e aos juros abusivos de um empréstimo ou financiamento”, ressalta.

A antecipação de recebíveis é um recurso que pode ser utilizado por companhias de todos os portes e segmentos, sejam elas do setor público ou privado. Considerando os clientes da atify Capital, é possível dizer que, em geral as organizações fazem essa solicitação para: manter o fluxo de caixa positivo e a saúde financeira do negócio estável; honrar pagamentos a fornecedores e colaboradores; investir na empresa, na equipe e/ou em um projeto; quitar operações financeiras com juros mais altos; cumprir uma estratégia financeira da empresa; fazer uma contratação emergencial; injetar capital na companhia; ter um melhor capital de giro; melhorar a gestão financeira; pagar dívidas e despesas; evitar o endividamento; e reforçar o estoque. 

“Trata-se de uma operação mais simplificada do que parece, podendo ser concretizada de forma rápida e sem burocracia, com menos taxas, na comparação com as linhas de crédito convencionais”, destaca Cristiano Belo. “O segredo, nesse processo, está na escolha do fornecedor do serviço de factoring e no planejamento para o uso do recurso financeiro recebido de maneira antecipada”, completa.